Tempo estimado de leitura:

Hierarquia das Leis no condomínio: como funciona?

A hierarquia das Leis um condomínio é um assunto que desperta interesse e curiosidade, principalmente entre aqueles que fazem parte do dia a dia nos condomínios. 

Entender a dinâmica de poder e as relações entre os moradores pode ser determinante para uma convivência harmoniosa e uma gestão eficiente do espaço.

No novo artigo do blog uCondo, abordaremos a hierarquia em um condomínio, suas principais características e como ela é estabelecida.

Além disso, discutiremos os principais desafios enfrentados na gestão de um condomínio e como a hierarquia pode ser utilizada de forma eficiente para solucioná-los.

Índice




Qual a hierarquia de um condomínio?

A hierarquia das leis, normas e convenções de um condomínio pode variar de acordo com a Legislação Estadual e Municipal.

Essa hierarquia deve ser respeitada para que todas as decisões sejam válidas e para que não haja risco de judicialização de decisões em caso de conflitos.

Entenda a base de decisões através da hierarquia das Leis no condomínio:

  1. Constituição Federal: é a lei máxima do país e se sobrepõe a todas as outras leis, normas e convenções, incluindo as regras do condomínio.

  1. Leis Federais, Estaduais e Municipais: são as leis que regulamentam os direitos e deveres dos condomínios e de seus moradores. Essas leis devem ser seguidas nesta ordem por todos os condomínios dentro da jurisdição do respectivo governo.

  1. Convenção de Condomínio: é o documento que estabelece as regras gerais do condomínio, como a definição das áreas comuns, direitos e deveres dos condôminos, regras de convivência e administração do condomínio. A convenção é elaborada pelos próprios moradores e deve ser aprovada em assembleia geral.

  1. Regimento Interno: é o documento que detalha as normas de convivência no condomínio, como horários de silêncio, regras de utilização das áreas comuns, proibições, entre outros. O regimento interno é elaborado pelo síndico e aprovado em assembleia geral.

  1. Normas Internas: são as regras adicionais estabelecidas pelo síndico ou pelo conselho consultivo do condomínio, desde que não entrem em conflito com a convenção e o regimento interno.

Em geral, é importante que todos os moradores do condomínio conheçam e respeitem a hierarquia das leis, normas e convenções para garantir uma convivência harmoniosa e segura no ambiente condominial.

Hierarquia das Leis do condomínio na parte legislativa
Entenda como funciona a Hierarquia das Leis no Condomínio.



Qual é a hierarquia das leis brasileiras?

Para entender a hierarquia das Leis no condomínio é preciso entender como funciona a hierarquia de Leis no Brasil, que é bastante complexa e cheia de detalhes.

A hierarquia de leis no Brasil é estabelecida pela Constituição Federal de 1988 e segue uma ordem, desde o mais alto ao mais baixo grau de importância. Confira:

Constituição Federal: é a lei máxima do país e possui um caráter mais genérico, estabelecendo os princípios fundamentais e as bases da organização política, social e econômica do Estado.

Emendas Constitucionais: são alterações feitas na Constituição Federal, seguindo um processo legislativo específico.

Leis Complementares: são leis elaboradas para complementar dispositivos constitucionais específicos.

Leis Ordinárias: são as leis mais comuns, aprovadas pelo Congresso Nacional e que regulamentam diferentes áreas da vida social.

Medidas Provisórias: são normas editadas pelo presidente da República em situações de urgência e relevância, que têm força de lei imediata, mas devem ser aprovadas pelo Congresso Nacional em até 120 dias para se tornarem definitivas.

Decretos Legislativos: são normas aprovadas pelo Congresso Nacional para regular questões específicas, como a ratificação de tratados internacionais.

Resoluções: são normas emitidas pelos órgãos legislativos e regulatórios para disciplinar questões internas e específicas.




Como funcionam as regras de um condomínio?

As regras de um condomínio se baseiam no Código Civil Brasileiro de 2003 e também na Lei 4.591/64, conhecida como a Lei de Condomínio, que teve vários artigos derrogados mas até hoje permanece como legislação secundária.

Isso significa que se houver algum item conflitante entre o Código Civil e a Lei do Condomínio, as orientações contidas no primeiro sempre irão prevalecer.

Ambas são utilizadas por síndicos, gestores, administradoras e pelos próprios moradores para a elaboração de regimentos internos e convenções condominiais.

Entenda mais sobre as Leis do Condomínio no vídeo da uCondo:

O que vale: a lei ou a convenção do condomínio?

Uma das principais dúvidas dentro do dia a dia nos condomínios é: a convenção condominial ou o regimento interno possuem maior importância que as leis?

Apesar de possuírem “força de lei”, a convenção e o regimento Interno não podem contrárias às Leis vigentes que possuem hierarquia superior, como esquematizado acima.

De qualquer forma, o regimento e a convenção estipulam as diretrizes entre os condôminos, e devem ser cumpridas por todos os integrantes da vida condominial. 




Qual a diferença entre regimento e convenção?

A convenção condominial é o documento mais abrangente e tem a função de definir os direitos e deveres dos proprietários e moradores, além de estabelecer as normas gerais de convivência e administração do condomínio

Ela é estabelecida na assembleia geral de condôminos e só pode ser modificada por decisão da maioria dos proprietários.

Já o regimento interno é um documento complementar à convenção condominial, que tem como objetivo detalhar as normas e regras de conduta estabelecidas na convenção. 

O regimento interno é elaborado pelo síndico, com a ajuda dos condôminos, e pode ser alterado a qualquer momento, desde que haja aprovação da maioria dos moradores em assembleia.




Quais são os cargos de um condomínio?

Em um condomínio administrado por uma administradora e um síndico profissional, por exemplo, as responsabilidades são distribuídas entre cada um deles. 

No entanto, geralmente a hierarquia é a seguinte:

Assembleia: é o órgão máximo de decisão do condomínio, composto pelos proprietários. É responsável por tomar decisões importantes, como a eleição do síndico e aprovação do orçamento.

Conselho Fiscal: é responsável por fiscalizar as contas do condomínio e apresentar relatórios aos proprietários.

Síndico: é responsável por gerenciar o condomínio, fazer cumprir as normas internas, representar o condomínio em questões legais e administrativas e coordenar os demais funcionários.

Administradora: é responsável por prestar assessoria ao síndico e aos proprietários, gerenciar as finanças do condomínio, contratar funcionários e fornecedores, prestar contas aos proprietários e cumprir todas as obrigações legais e fiscais relacionadas à administração do condomínio.

Funcionários: são os responsáveis pela manutenção e limpeza do condomínio, como zelador, porteiros, faxineiros, entre outros.

Colaboradores: estão incluídos funcionários terceirizados e prestadores de serviços. Dependendo do regimento interno, parte dos colaboradores pode ser gerida pela própria administradora.

Hierarquia das Leis do condomínio na parte executiva
Entenda como funciona a hierarquia dos cargos no condomínio.



Regimento interno e convenção condominial

Tão importante quanto haver regras no condomínio, é que todos os moradores saibam de sua existência e tenham acesso a todas elas.

Tradicionalmente, o regimento interno e a convenção do condomínio são disponibilizados aos moradores em um espaço comum, como a portaria.

Em uma realidade cada vez mais digital, no entanto, é importante que todos possam acessar de forma remota, através de seus dispositivos móveis.

Através do aplicativo de gestão condominial uCondo, é possível acessar todos os documentos disponibilizados pelo síndico ou pela gestão do condomínio. Os condôminos podem acessar os documentos, regimentos e normas pelo smartphone, computador ou tablet.

Saiba mais sobre a função no vídeo abaixo:




A importância da hierarquia no condomínio

Em conclusão, a hierarquia é um elemento essencial na gestão de um condomínio. Ela ajuda a estabelecer regras claras de convivência, promove a resolução de conflitos de forma justa e eficiente, e permite que as responsabilidades e deveres sejam distribuídos de forma equilibrada entre os moradores e a administração. 

Além disso, a hierarquia permite que as decisões sejam tomadas de forma democrática, respeitando a opinião de todos os envolvidos.

No entanto, é importante que essa hierarquia seja estabelecida de forma clara e transparente, e que todos os moradores sejam informados e estejam cientes do papel que cada um desempenha no condomínio. 

Também é fundamental que as regras e decisões sejam aplicadas de forma imparcial e justa, para evitar conflitos e ressentimentos.

Portanto, investir na organização e na definição de uma hierarquia clara e eficiente é fundamental para garantir a harmonia e a tranquilidade no condomínio. 

Com uma gestão bem estruturada e um diálogo aberto e transparente entre os moradores e a administração, é possível construir um ambiente de convivência saudável e prazeroso para todos.

Para auxiliar o trabalho de síndicos e gestores, o aplicativo uCondo oferece dezenas de funcionalidades para melhorar a comunicação e garantir com que todos os moradores tenham acesso rápido e fácil às regras, normas e Leis necessárias para uma boa convivência.

Quer saber mais? Cadastre-se abaixo e receba uma demonstração gratuita do sistema:

Os condolovers também perguntam:

Postado em  

May 12, 2023

Conheça a uCondo, o sistema de gestão de condomínios

Administre um ou mais Condomínios de forma simples e rápida. A uCondo conecta bancos, síndicos, porteiros, condôminos e administradoras, em uma única plataforma 100% digital.