Tempo estimado de leitura:

Entenda os direitos e deveres dos condôminos e inquilinos

Os condomínios são espaços coletivos em que moradores compartilham áreas comuns e precisam conviver em harmonia para garantir a qualidade de vida de todos. Por isso, o gestor precisa entender os direitos e deveres dos condôminos e inquilinos.

Isso porque entender essas responsabilidades é essencial para evitar conflitos e garantir o bem-estar de todos os envolvidos.

Apesar de ter muitas semelhanças, existem muitas diferenças entre os conceitos de morador, condômino, inquilino, proprietário, locador e locatário.

No novo artigo do blog uCondo, vamos te explicar alguns destes conceitos e dos termos mais comuns envolvendo a vida em condomínio.

Índice

chave na porta de um inquilino no condomínio
Entenda quais são os direitos e deveres de inquilinos e moradores de condomínios.



O que é condômino?

O condômino é a pessoa que possui uma unidade em um condomínio, ou seja, é proprietário de um apartamento ou casa em um condomínio residencial ou conjunto habitacional. 

Os direitos do condômino estão previstos no Código Civil Brasileiro e nas principais Leis que regem a convivência em condomínios, como a Lei do Inquilinato, por exemplo.

Em relação aos direitos e deveres de um condômino, podemos citar:

  1. Participação nas decisões: O condômino tem direito a participar das assembleias do condomínio e votar nas decisões que afetam o prédio e os moradores.

  1. Acesso às áreas comuns: O condômino tem o direito de utilizar as áreas comuns do prédio, como salão de festas, piscina, academia, entre outras, desde que respeite as regras estabelecidas pelo condomínio.

  1. Recebimento de informações: O condômino tem direito a receber informações sobre as contas, despesas, receitas, orçamentos e outras informações relevantes do condomínio.

  1. Conservação do imóvel: O condômino tem a obrigação de conservar seu imóvel e, se for o caso, realizar reparos e manutenções necessários para manter a segurança e o bem-estar dos moradores.

  1. Segurança: O condomínio é responsável por garantir a segurança dos moradores e por tomar medidas para prevenir acidentes e crimes nas áreas comuns.

  2. Participação na gestão do condomínio: O condômino tem direito a se candidatar a cargos na administração do condomínio, como síndico ou membro do conselho fiscal.



O que é locador?

Locador, também referido como proprietário, é a pessoa que aluga um imóvel para outra pessoa, chamada de locatário. Em um condomínio, o locador tem alguns direitos e deveres a serem observados.

Entre os direitos do locador em um condomínio estão:

  • Receber o pagamento do aluguel e encargos previstos no contrato, dentro do prazo estipulado;

  • Acompanhar a utilização do imóvel pelo locatário, garantindo que as normas do condomínio sejam respeitadas;

  • Ser informado pelo síndico sobre as decisões tomadas em assembleia que afetem diretamente o imóvel;

  • Ter acesso ao imóvel para realizar vistorias ou reparos necessários, mediante prévio aviso ao locatário.

Entre os deveres do locador em um condomínio estão:

  • Pagar as despesas de condomínio relativas ao imóvel, tais como taxas, contribuições e fundo de reserva;

  • Comunicar ao síndico qualquer problema no imóvel que possa afetar a segurança ou a tranquilidade do condomínio;

  • Cumprir as normas do condomínio e zelar pela boa convivência entre os condôminos;

  • Garantir que o locatário respeite as normas do condomínio e evite qualquer comportamento que possa perturbar a tranquilidade dos demais moradores.

É importante lembrar que, em caso de descumprimento das normas do condomínio por parte do locador ou do locatário, tanto um quanto outro podem ser penalizados, inclusive com multas e outras sanções previstas em lei. 

Por isso, é fundamental que ambos cumpram seus direitos e deveres no condomínio.




O que é locatário?

Locatário é a pessoa que aluga um imóvel de um proprietário, tendo a obrigação de arcar com custos mensais de aluguel, estabelecidos através de contrato de locação

Em um condomínio, o locatário possui direitos e deveres específicos que devem ser respeitados para manter um convívio harmonioso com os demais moradores.

Entre os direitos do locatário em um condomínio estão:

  • Utilizar as áreas comuns do condomínio, como piscina, quadra, salão de festas, entre outros;

  • Participar das assembleias do condomínio, desde que seja representante legal do proprietário do imóvel;

  • Receber todas as informações referentes ao condomínio, como atas de reuniões, prestação de contas, regulamento interno, entre outros;

  • Ter garantida a sua privacidade e o uso exclusivo do seu imóvel, desde que respeitando as normas do condomínio.

Já entre os deveres do locatário em um condomínio estão:

  • Pagar a taxa de condomínio em dia;

  • Respeitar as normas do regulamento interno do condomínio;

  • Zelar pela conservação do imóvel e das áreas comuns do condomínio;

  • Não realizar atividades que possam causar perturbação ou incômodo aos demais moradores, como festas barulhentas, por exemplo.

É importante lembrar que o proprietário do imóvel é o responsável legal pelos atos do locatário em um condomínio. 

Portanto, é fundamental que haja um diálogo claro entre as partes para que os deveres e direitos sejam cumpridos de forma adequada e sem prejuízos para ambas as partes.




O que é inquilino?

Assim como o locatário, o termo inquilino se refere a uma pessoa que aluga um imóvel, mas eles têm diferenças sutis em relação às suas responsabilidades e direitos legais.

O termo "inquilino" é geralmente usado para se referir a uma pessoa que aluga um imóvel de um proprietário.

Já o termo "locatário" é um pouco mais amplo e pode ser usado para se referir a qualquer pessoa que aluga um bem, incluindo um imóvel, um carro ou outros tipos de propriedade. 

Na prática, a diferença entre inquilino e locatário é principalmente semântica e não afeta significativamente os direitos e responsabilidades legais do indivíduo que aluga um imóvel.

Cabe lembrar que, apesar de não ser o proprietário da unidade, o inquilino pode ser penalizado caso não cumpra suas obrigações ou cause transtornos aos demais moradores do condomínio. 

Por isso, é fundamental que o inquilino conheça suas responsabilidades e direitos para evitar problemas e garantir uma convivência saudável e respeitosa com os demais condôminos.

Agora que você já entendeu a definição dos moradores de um condomínio, separamos um vídeo para falar sobre como é a vida nestes espaços e o que é preciso evitar. Assista:




O que diz a nova Lei do Inquilinato?

A Lei 8.245/91, conhecida como Lei do Inquilinato, estabelece as normas e direitos relacionados aos contratos de locação de imóveis urbanos. Ela aponta os direitos e deveres de condôminos, sejam eles moradores, inquilinos, locatários ou locadores.

A lei define as obrigações e responsabilidades do proprietário e do inquilino, incluindo questões como prazo de contrato, valor do aluguel, reajustes, multas, renovação, despejo, entre outras. 

A Lei do Inquilinato também protege os direitos dos locatários, estabelecendo regras claras para evitar abusos e garantir a segurança jurídica dos contratos de locação. 

A última atualização da lei ocorreu em 2020, com mudanças que visam modernizar a legislação e facilitar a resolução de conflitos entre proprietários e inquilinos.

Quais são os deveres do locador e do locatário?

A Lei do Inquilinato estabelece os direitos e deveres do locador e do locatário. 

- Deveres do Locador

I -  entregar ao locatário o imóvel alugado em estado de servir ao uso a que se destina;

II - garantir, durante o tempo da locação, o uso pacífico do imóvel locado;

III - manter, durante a locação, a forma e o destino do imóvel;

IV - responder pelos vícios ou defeitos anteriores à locação;

V - fornecer ao locatário, caso este solicite, descrição minuciosa do estado do imóvel, quando de sua entrega, com expressa referência aos eventuais defeitos existentes;

VI - fornecer ao locatário recibo discriminado das importâncias por este pagas, vedada a quitação genérica;

VII - pagar as taxas de administração imobiliária, se houver, e de intermediações, nestas compreendidas as despesas necessárias à aferição da idoneidade do pretendente ou de seu fiador;

VIII - pagar os impostos e taxas, e ainda o prêmio de seguro complementar contra fogo, que incidam ou venham a incidir sobre o imóvel, salvo disposição expressa em contrário no contrato;

IX - exibir ao locatário, quando solicitado, os comprovantes relativos às parcelas que estejam sendo exigidas;

X - pagar as despesas extraordinárias de condomínio.

- Deveres do Locatário

I - pagar pontualmente o aluguel e os encargos da locação, legal ou contratualmente exigíveis, no prazo estipulado ou, em sua falta, até o sexto dia útil do mês seguinte ao vencido, no imóvel locado, quando outro local não tiver sido indicado no contrato;

II - servir - se do imóvel para o uso convencionado ou presumido, compatível com a natureza deste e com o fim a que se destina, devendo tratá - lo com o mesmo cuidado como se fosse seu;

III - restituir o imóvel, finda a locação, no estado em que o recebeu, salvo as deteriorações decorrentes do seu uso normal;

IV - levar imediatamente ao conhecimento do locador o surgimento de qualquer dano ou defeito cuja reparação a este incumba, bem como as eventuais turbações de terceiros;

V - realizar a imediata reparação dos danos verificados no imóvel, ou nas suas instalações, provocadas por si, seus dependentes, familiares, visitantes ou prepostos;

VI - não modificar a forma interna ou externa do imóvel sem o consentimento prévio e por escrito do locador;

VII - entregar imediatamente ao locador os documentos de cobrança de tributos e encargos condominiais, bem como qualquer intimação, multa ou exigência de autoridade pública, ainda que dirigida a ele, locatário;

VIII - pagar as despesas de telefone e de consumo de força, luz e gás, água e esgoto;

IX - permitir a vistoria do imóvel pelo locador ou por seu mandatário, mediante combinação prévia de dia e hora, bem como admitir que seja o mesmo visitado e examinado por terceiros, na hipótese prevista no art. 27;

X - cumprir integralmente a convenção de condomínio e os regulamentos internos;

XI - pagar o prêmio do seguro de fiança;

XII - pagar as despesas ordinárias de condomínio.




O que diz a Lei do Condomínio?

Além da Lei do Inquilinato, também é importante conhecer a Lei 4.591/64, conhecida como Lei de Condomínio, que foi a primeira lei criada exclusivamente para regrar a convivência em condomínios.‍

Apesar de ter sido derrogada em 2003 com a chegada do Código Civil, ela continua sendo uma das principais referências para a Legislação condominial.

Atualmente, tudo que há na Lei nº 4.591/1964 e não está disposto no Código Civil, segue valendo.

Leia mais: Conheça a Lei do Condomínio

Assista o vídeo abaixo e saiba mais sobre as Leis do Condomínio:

Conclusão

Em resumo, os condomínios são comunidades que requerem uma convivência harmoniosa entre os moradores. 

Para garantir isso, é importante que todos conheçam seus direitos e deveres dentro do espaço condominial.

Entre os direitos dos moradores, destacam-se o acesso às áreas comuns, a participação nas assembleias e a escolha dos representantes legais do condomínio. 

Já os deveres incluem o pagamento das despesas condominiais, o respeito às regras estabelecidas na convenção e no regimento interno, e o cuidado com a conservação das áreas comuns e das unidades privativas.

Para manter a harmonia, o síndico precisa garantir com que todos os moradores saibam dos seus direitos e deveres, estabelecendo um canal de comunicação que seja simples e direto.

Uma boa opção é o uso de aplicativo de gestão condominial, como o uCondo, que conta com dezenas de funcionalidades para melhorar a comunicação entre a gestão e os moradores.

Quer saber mais? Cadastre-se abaixo e receba uma demonstração gratuita:

Os condolovers também perguntam:

Postado em  

May 22, 2024

Conheça a uCondo, o sistema de gestão de condomínios

Administre um ou mais Condomínios de forma simples e rápida. A uCondo conecta bancos, síndicos, porteiros, condôminos e administradoras, em uma única plataforma 100% digital.