Tempo estimado de leitura:

Inquilino pode ser síndico?

O inquilino pode ser síndico? Essa é uma pergunta frequente entre aqueles que vivem em condomínios e desejam entender as regras e possibilidades que envolvem a gestão do prédio.

A figura do síndico é essencial para a administração condominial, mas será que um inquilino tem o direito de assumir esse papel?

O tema envolve diversas nuances legais e é importante entender todas as implicações dessa situação peculiar.

Neste artigo do blog uCondo, vamos explorar essa questão e analisar as circunstâncias em que um inquilino pode se tornar síndico.

Índice:

inquilino pode ser síndico?
Entenda tudo sobre um inquilino e a possibilidade dele ser síndico de condomínio.



O que é um inquilino?

Um inquilino é uma pessoa que ocupa um imóvel ou uma propriedade alugada, seja ela uma casa, apartamento ou sala comercial. 

O inquilino é conhecido também como locatário, e ele adquire o direito de utilizar o espaço mediante o pagamento de um valor estabelecido em contrato, geralmente mensalmente, denominado aluguel. 

Enquanto o proprietário do imóvel é chamado de locador, o inquilino é responsável por:

  • Cumprir as obrigações estipuladas no contrato de locação
  • Pagar o aluguel pontualmente
  • Cuidar da conservação do imóvel
  • Respeitar as regras estabelecidas pelo locador ou pela administração do condomínio

O inquilino possui direitos e deveres específicos definidos pela legislação vigente, que visa garantir uma relação equilibrada entre as partes envolvidas.

Como fazer um contrato de inquilino?

O inquilino assina um contrato de locação juntamente com o locatário para oficializar o aluguel do imóvel.

Esse contrato é essencial para garantir que a negociação será realizada de forma justa e segura para ambas as partes.

O contrato de locação determina detalhes importantes para o relacionamento entre o inquilino e o locador.

O contrato pode citar, por exemplo, que é responsabilidade do inquilino pagar multas por atraso no pagamento do aluguel.

Leia também: Qual o reajuste permitido por lei?



Quais são os direitos de um inquilino?

O direito do inquilino de condomínio com contrato está respaldado tanto pelo Código Civil quanto pela Lei do Inquilinato (Lei nº 8.245/91).

Algumas das principais garantias e direitos do inquilino são:

  1. Posse do imóvel alugado: O inquilino tem o direito de utilizar o imóvel alugado conforme estabelecido no contrato de locação, desde que respeite as condições estipuladas.
  2. Uso das áreas comuns do condomínio: O inquilino tem direito a utilizar as áreas comuns do condomínio, como salões de festas, piscinas, churrasqueiras, desde que siga as regras estabelecidas pela administração do condomínio.‍
  3. Participação em assembleias: O inquilino tem o direito de participar das assembleias do condomínio, porém não possui direito a voto, a menos que seja autorizado pelo proprietário do imóvel.
  4. Indenização por benfeitorias: De acordo com a Lei do Inquilinato, o inquilino pode ser indenizado pelas benfeitorias realizadas no imóvel. São indenizáveis as benfeitorias necessárias (reparos estruturais) e as benfeitorias úteis (instalação de novos itens essenciais).
  5. Preferência na compra: A Lei do Inquilinato garante ao inquilino a preferência de compra do imóvel, desde que a oferta seja semelhante a qualquer oferta recebida pelo locador.

É importante ressaltar que, além dos direitos, o inquilino também possui deveres.

O inquilino tem direito a 30 dias de graça?

Não existe um direito automático de 30 dias de aluguel gratuito para inquilinos.

O período de carência, ou seja, um prazo de isenção do pagamento do aluguel, é uma condição que pode ser negociada entre o proprietário do imóvel e o inquilino durante a negociação e elaboração do contrato de locação.

Essa negociação deve ser feita de forma clara e explícita, especificando o período de carência acordado, caso seja concedido.

Em algumas situações, especialmente em imóveis comerciais ou em situações de grande oferta e pouca demanda de locação, pode ocorrer a concessão de um período de carência como um incentivo para atrair inquilinos.

No entanto, essa é uma condição negociável entre as partes envolvidas e não é um direito assegurado por lei.




Quais são as responsabilidades de um inquilino?

As responsabilidades de um inquilino em um condomínio podem variar dependendo das regras estabelecidas na convenção do condomínio, no regulamento interno e no contrato de locação. 

No entanto, geralmente as responsabilidades comuns de um inquilino incluem:

  1. Pagamento do aluguel: O inquilino é responsável por pagar o aluguel conforme estipulado no contrato de locação, dentro do prazo acordado.

  2. Cumprimento das regras do condomínio: O inquilino deve seguir as regras e regulamentos estabelecidos pelo condomínio, como horários de silêncio, normas de uso das áreas comuns, separação correta do lixo, entre outros.

  3. Conservação do imóvel: O inquilino é responsável por manter o imóvel em boas condições de conservação e realizar pequenos reparos que sejam de sua responsabilidade, conforme estabelecido no contrato de locação.

  4. Respeito aos demais moradores: O inquilino deve agir de forma respeitosa com os demais condôminos, evitando perturbações, comportamentos inadequados ou ações que possam causar transtornos aos vizinhos.
  5. Cumprimento das obrigações financeiras: Além do pagamento do aluguel, o inquilino também é responsável pelo pagamento de despesas condominiais adicionais, como taxa de condomínio, rateio de despesas extraordinárias, entre outros, conforme acordado no contrato de locação.

Leia também: Direitos e deveres dos inquilinos

Inquilino paga a taxa de condomínio?

Outras dúvidas frequentes são: O que pode ser pago pelo inquilino? O que não pode ser cobrado do inquilino?

Para esclarecer essas dúvidas, a uCondo preparou um vídeo especial. Assista:




Inquilino pode ser síndico?

Existe um certo receio de aceitar a candidatura de inquilinos para cumprir o cargo de síndico. Afinal, o contrato de aluguel pode acabar, o imóvel pode ser vendido ou alguma outra situação pode ocasionar a saída do inquilino do imóvel.

Contudo, não existe nenhum impedimento legal para que inquilinos assumam o cargo de síndico. O inquilino só não poderá ser síndico se o regimento interno do condomínio proibir.

O inquilino que assumir o cargo de síndico morador poderá receber um desconto em sua taxa condominial ou até mesmo receber um salário para cumprir com o cargo.

Todas essas circunstâncias são esclarecidas no regimento interno ou na convenção do condomínio.

No entanto, não é raro que a convenção do condomínio e o regimento interno proíbam que o locatário atue como síndico no condomínio.

Em alguns casos, o cargo só poderá ser ocupado por proprietários de imóveis. 

Inquilino inadimplente pode ser síndico?

Não existe nenhum Lei ou artigo específico que impeça um condômino inadimplente de ser síndico de condomínio. O artigo 1.347 do Código Civil destaca que o cargo de síndico não precisa ser exercido exclusivamente por condôminos.

No entanto, a inadimplência do inquilino demonstra falta de cumprimento de suas obrigações financeiras com o próprio condomínio.

Isso levanta preocupações sobre sua capacidade de gerenciar adequadamente os recursos e tomar decisões financeiras no interesse coletivo dos condôminos.

A maioria das convenções de condomínio estabelece requisitos para a eleição e atuação do síndico, e é comum que seja exigido que o candidato esteja em dia com suas obrigações financeiras perante o condomínio.

Dessa forma, se um inquilino estiver inadimplente, é provável que ele não cumpra esse requisito e, portanto, fique impedido de assumir o cargo de síndico.




O que diz a nova Lei do Inquilinato?

A Lei 8.245/91, também conhecida como a Lei do Inquilinato, tem como objetivo dar direção para acordos de aluguel entre locador e locatário.

A lei orienta para prazos, termos de cancelamento, critérios de reajuste de aluguel, deveres do locador e locatário, cauções, despejo e muito mais.

Conhecer a lei do inquilinato é fundamental para locatários que querem garantir seus direitos e para locadores que querem mais segurança na hora de estabelecer contratos de aluguel.

Para te auxiliar, a uCondo preparou um vídeo especial com o resumo da Lei do Inquilinato. Assista:

Conclusão

É muito importante que o inquilino que deseja atuar como síndico entenda todas as responsabilidades do cargo. Afinal, o síndico cumpre com diversas obrigações que são fundamentais para o bom funcionamento do condomínio.

Portanto, antes de se candidatar ao cargo de síndico, o inquilino deve pesquisar sobre o assunto e entender o que faz um síndico.

Além disso, também é importante checar o regimento interno e a convenção para conhecer todos os detalhes da gestão do condomínio.

Acesse: Guia completo para síndicos

Por fim, assumir um condomínio é um desafio até para os síndicos profissionais. Para facilitar esse trabalho, existe a uCondo, que oferece um material gratuito para te ajudar. Cadastre-se abaixo e garanta o Guia Completo para se Tornar Síndico:

Postado em  

May 22, 2024

Conheça a uCondo, o sistema de gestão de condomínios

Administre um ou mais Condomínios de forma simples e rápida. A uCondo conecta bancos, síndicos, porteiros, condôminos e administradoras, em uma única plataforma 100% digital.